Buscar

A história de um projeto - Japão e Minas

Dia 05 de abril eu mandei um áudio para meu amigo e parceiro Nícolas. Ele, designer gráfico de formação, marceneiro e artesão se tornou desde 2016 um parceiro de projetos de mobiliário sob medida. Quando nos sentamos para tomar um café (ou cerveja) depois de um cansativo dia de instalação, inevitavelmente temos ótimas conversas sobre nossos negócios e como isso afeta nossa vida. Assim surgiam planos de fazer projetos mais autorais e criativos.


A correria da vida, prazos, clientes, sempre acabava engolindo essa vontade.


Alguns dias antes de eu mandar o áudio (vou chegar nele ainda!) conversei com outro grande amigo, o David, que estava abrindo uma cafeteria, e me contava dos desafios e prazeres de lançar um negócio ao mundo. Tamanha a empolgação, ele disse que já pensava em lançar mais negócios. Muitas coisas que estavam em meu subconsciente começaram a se organizar. Falei para o David que já sabia de algo que poderíamos lançar juntos!


Assim chegamos ao áudio que começou tudo. Mandei para o Nícolas a ideia de pensarmos numa linha de objetos, entrelaçando referências culturais de ambos os estúdios. Ainda sem a certeza do que seriam estas referências, implementamos que teríamos reuniões por videochamadas a cada 2 ou 3 dias, mesmo que não tivéssemos muita evolução entre elas, íamos discutir qualquer rascunho, ideia ou referência que fossemos tendo. Afinal, devemos errar rápido, para o processo do projeto andar. A cada reunião o tema foi ficando mais claro. Comida e bebida!


Como falei no começo do post, nossa amizade se construiu ao redor de mesas de botecos e cafés, nas esquinas das obras que fazíamos.


Além disso, a cultura japonesa e mineira se aproximam muito na questão do ritual da mesa. A cerimônia do chá do Japão, o almoço de forno a lenha de Minas...


Como traduzir isso esteticamente em um objeto? Recorri a pesquisa de elementos tradicionais da cultura japonesa. Encontrei a técnica Furoshiki, que consiste em embrulhar algo usando tecido. Uma tradição que começou nos anos 700! Uma técnica muito usada para transportar os bentôs, as marmitas japonesas. O embrulho é feito com dobraduras no tecido, me lembrando muito origamis também, outra tradição japonesa. Fiquei com essas duas técnicas na cabeça, e pensei em como seria uma versão disso na madeira. Uma chapa de madeira compensada não dobra como um papel, mas podemos fazer cortes ao invés de dobras, e colar as camadas, simulando o origami!


Peguei então um bloquinho de post-its e fiquei uma tarde inteira fazendo origamis. Não dobrando sapos ou pássaros, mas tentando criar formas básicas e interessantes na qual eu imaginava que poderiam abrigar panelas, copos e xícaras.

O restante foi o natural desenvolvimento de projeto. Passar os desenhos para o modelo 3D, muitas horas acertando medidas e proporções, fazendo desenhos técnicos. Não tem muita história para contar dessa etapa, a não ser muito suor ajustando detalhes e o chazinho de mel e gengibre que a Tamara fazia de tarde para ser meu combustível!


Com os desenhos prontos, o Nícolas executou os protótipos. Talvez o que mais goste de design de produtos é a rapidez de ver algo sair do papel e virar algo físico em suas mãos. Ele me mandou as fotos dos objetos e aquela empolgação já me tomou. Ficaram bonitos demais, mesmo que em uma madeira mais simples da que iríamos usar na produção comercial. Protótipos são muito importantes! Com eles em mãos, analisamos e discutimos, eu em São Paulo, ele em Minas, e fomos testando: "tenta colocar um prato... vê se cabe uma garrafa de cachaça e dois copos aí dentro...". Assim fizemos os últimos ajustes de tamanho no projetos. A primeira leva de peças está em produção neste mesmo momento!



Documentei grande parte do processo, e vou preparar alguns videos mostrando melhor como foi esta jornada que começou no áudio que mandei para o Nícolas. Se você chegou até aqui, obrigado pela atenção! Vou divulgar mais sobre este material na minha newsletter, que você pode se inscrever no rodapé desta página, ou no site https://www.estudiocarvao.com.br/lista

46 visualizações

Se inscreva na Newsletter

  • Facebook
  • Instagram
  • LinkedIn - círculo cinza

estúdio carvão | Nome empresarial: Juliano Ijichi Machado 36901450826 | São Paulo SP, Rua Afonso Pena 330 apt 25 cep 01124-000 | tel 11 9 7685 4495 | contato@estudiocarvao.com.br

CNPJ 26.731.953/0001-13 | Prazos de entrega de 10 a 30 dias, confira na página do produto | Devolução e reembolso deve ser solicitado em até 10 dias do recebimento, para produtos não utilizados. Troca para produtos com defeito deve ser solicitado em até 5 dias após recebimento. A avaliação sobre troca e reembolso será tratada pelo e-mail de contato citado acima.